Páginas

Polícia Militar retorna à Idade da Pedra

A imagem ao lado é o novo protótipo que será concebido futuramente pela Polícia Militar de toda a Terra Brazilis.

Guardas municipais de Várzea Paulista (42 km de São Paulo) treinam com arco e flecha uma vez por semana, pelo  descaso das autoridades e para driblar a falta de recursos públicos no município.

Estima-se que a dívida da Prefeitura de Várzea Paulista seja em torno de R$ 90 milhões (o orçamento do município para este ano foi estimado em R$ 203 milhões), o que possibilitará apenas a compra de arcos e flechas, assim como escudos made in África do Sul para que a corporação possa fazer seus treinos de artilharia.

Há dois meses, pelo menos 20, dos cerca de 120 agentes da corporação, treinam com arco e flecha uma vez por semana.

O equipamento usado pelos guardas foi emprestado por uma loja de material esportivo da cidade de Jundiaí.

O treinamento com arco e flecha foi instituído pelo inspetor Edson Barcaro, 40, que começou a praticar o esporte há cerca de sete meses e achou fundamental para enfrentar o tráfico em São Paulo que se utiliza, de metralhadoras e fuzís israelenses de alta tecnologia, mas que para ele não representa nenhuma ameaça para os guardas municipais.

Segundo o inspetor Barcaro, o arco e flecha proporciona maior controle da respiração, acelera o raciocínio, fortalece a musculatura da parte superior do corpo e aprimora a mira.

“No tiro com arco, você tem de soltar a flecha com os dois olhos abertos.

Isso obriga o atirador o olhar a melhorar a mira quando atira com arma de fogo”, afirma, mesmo não percebendo o Sr. Barcaro, que os adversários verão dois olhos para se certificar em atirar bem no meio da testa, ou seja, entre os supostos dois olhos abertos..

O treinamento com arco e flecha também é visto por Barcaro como uma forma de relaxamento. “Ajuda a combater o estresse de quem tem uma profissão como a nossa, sempre com muita tensão”, diz, além do que nossos policiais estão demasiadamente obesos.

A partir desta semana, os atiradores de arco e flecha, porém, terão de dividir as manhãs de quarta-feira com outro exercício inusitado.

Irão aprender a pilotar aeromodelos que serão usados para fiscalização de invasão de áreas em matas. As aulas serão dadas por pilotos que praticam o esporte, conforme o comando da GM.

Junto aos dois aparelhos serão acopladas máquinas fotográficas com capacidade para registrar até dez fotos por segundo. “Com cinco minutos de voo teremos um grande material para fiscalização/espionagem”, afirma.

Se falta verba, sobra criatividade em outras situações também. A Guarda Municipal de Várzea enfrentou manifestantes nos protestos de junho sem escudos – houve ameaças de ataques à prefeitura e à Câmara. E como faltavam recursos para isso também, a GM conseguiu a doação de metal e mão de obra em uma forjaria para a confecção de 15 escudos do tipo ZULU usados no Sul da África, desenhados na própria corporação, kkkkkkkkrsrsrsrs, eu não aguento isso.

Para quem está espantado com a notícia, não se esqueçam de relembrar que os Vietnamitas ganharam a Guerra contra os EUA utilizando-se de farpas de bambú envenenadas, nas ciladas subterrâneas armadas pelos amarelos magricelas, e que fizeram os soldados americanos armados até os dentes, baterem em retirada devido ao alto índice de baixas, derrota essa que os americanos tiveram que engolir calados.

É possível que o Sr, Barcaro, ou anda lendo muito GIBÍ ou anda brincando de VIDEO GAME ou ainda não percebeu que existem armas na atualidade que são capazes de arrancar a orelha de um mosquito com precisão ha 500 metros sem fazer barulho.

Se continuar assim, não está descartada a hipótese do Sr. Barcaro contratar guerreiros Zulus e mandar confeccionar estilingues, que são muito mais efetivos do que estes museus atualmente usadas pela polícia que chamam de armas.

O Brasil não consegue engaiolar Paulo Maluf, José Genoíno nem José Dirceu, mesmo depois de transitado julgado, e o Sr. Barcaro ainda pensa em combater exércitos com aviõezinhos de brinquedo dificilimos de operar até para quem tem muita experiência.

Ave Marisa Letícia da cidadania italiana, ostra paralítica, devolvei as medalhas e comendas recebidas dos aeroviários por relevantes serviços prestados ao Brasil,……..que serviços Hã Hã Hã?????????????

Deixe seu comentario

 

 

 

Se desejar, pode usar tags em HTML

Crie aqui seu avatar para seus comentarios

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>