Páginas

Brasil um País dormente, deitado eternamente em berço esplêndido!

Do início de 2017 até a presente data,o total de crimes contra à vida no Brasil é igual ou superior ao mesmo período em 2016.

Some-se isso ao fato preocupante da estrutura policial, tanto civil como militar, em todo o país, estar entre as piores do mundo.

Tal afirmação não é minha, esse relatório foi feito e apresentado em conformidade com a Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública, pois somos o país da Impunidade, das  estatísticas e da corrupção institucionalizada, tudo isso para nos cobrir de vergonha no cenário internacional.

Todas as vezes em que o Estado se omite em promover a justiça de forma rápida e com isonomia, essa omissão se torna comum, já não causando surpresa ao cidadão que passa a tê-la como regra.

Tudo isso leva o cidadão a agir em causa própria, as vezes agindo com violência praticando o linchamento medieval.

Não há como censurar essa atitude quando o delito perpetrado contra o cidadão extrapola o limite do humanamente tolerável, fazer cumprir a lei de forma imparcial e pronta é o que se espera do Estado.

Infelizmente o Brasil se acha perdido no Judiciário com milhares de leis e portarias, e tê-las sem fazê-las cumprir é o contraditório, é o desequilíbrio democrático.

Há que se elogiar nossos ancestrais donos do Brasil que mesmo sem a civilidade de que somos titulares, faziam cumprir as suas leis naturais e tribais, pois todos eram iguais perante a lei sem foro privilegiado, e as sentenças, dadas pelo conselho dos anciãos embora bárbaras eram cumpridas ao pé da letra.

No meu entender, as pessoas  ditas e tidas civilizadas, estão mudando é de atitude e reconhecendo outros valores diante de um Estado fraco, desacreditado omisso e inerte diante da bandidagem e do crime organizado.

Fica evidenciado que as nossas instituições jurídicas protegem os bandidos com flores enquanto a população esta sendo  exterminada como se fossem insetos.

Sem o concurso do Estado o cidadão parte  para fazer justiça com as próprias mãos.

Será que estamos vivendo um Estado de direito ou uma malta de juristas fracos dominados pelo crime organizado?      Há no ar um clamor nacional cada vez maior por justiça rápida e pelo fim da impunidade.

O judiciário se mantém omisso, e a marginalidade com propriedade e descaramento diz: “ESTÁ TUDO DOMINADO” O bandido diante das autoridades coautoras  zombam de forma aviltante, com  absoluta certeza que em breve voltará às ruas para novamente delinquir ainda de forma mais violenta sem o receio de voltar a ser punido.

Esta é a sociedade em que nós vivemos até a próxima bala perdida, ou estupro de um vulnerável da nossa família, isso sem falar num bem quaisquer, que poderá  ser roubado de um cidadão para ser moeda de  troca em alguma dessas cracópolis da vida.

Se o Estado se negar em  socorrer o cidadão de forma rápida e sem burocracia, o linchamento passará a ser um procedimento  de último recurso.

Por: Gilvan Barbosa Gama   Piúma ES

Deixe seu comentario

 

 

 

Se desejar, pode usar tags em HTML

Crie aqui seu avatar para seus comentarios

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>