Páginas

Nossos grandes aliados contra doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti (mosquito da dengue)

Todos nós sabemos que podemos devemos e queremos acima de tudo, erradicar a Dengue no Brasil!

Tenho publicado insistentemente em parceria com o Dr Gilvan Barbosa da Gama Apiterapeuta Holístico de Púma ES  sobre este assunto, inclusive indicando paleativos para espantar o mosquito vetor da dengue como por exemplo, fazendo o uso do Extrato de Própolis dissolvido em álccol de cereais, que ao ser ingerido (cinco gotas) nosso corpo libera pela sudorese uma substância chamada flavona, que impede pelo suave odor, a aproximação do mosquito por até 10 metros,  o uso do Capim Citronella próximo a residência,  também afastam os mosquitos e são primitivamente bastante usados pelos agricultores sobre as orelhas quando vão para campo, e agora o plantio da Crotalária Juncea que atrai libélulas (lava-bunda) predador natural do Aedes Aegypti, como se vê na foto.

Dengue, Febre Amarela Chycungunia  Zika, Doença de Guillain Barré e Miosite não são problemas alheios, e ou dos nossos vizinhos, são nossos, e os mais temidos problemas, pois no momento estamos em desvantagem, devido a velocidade com que nosso inimigo o Aedes Aegypti se prolifera, e com a ajuda de outro inimigo, o próprio homem acabrestado e desinformado feito ovelhas burras e teimosas, assim como governos acéfalos como o do Rio de Janeiro que fechou as portas para a saúde, por inadimplência contumaz e outras práticas espúrias, espelhando-se no governo federal, estelionatário e perdulário e mercenário!

Usada para enriquecimento de solo, segundo a especialista, Gerente de Vigilância e Saúde de Vitória ES,  Dra Arlete Frank Dutra, o arbusto chamado Crotalária Juncea, deve ser plantada em parques e em locais com concentração de água pelo fato da mesma atrair as libélulas (lava-bunda) que são predadores naturais das larvas e adultos do mosquito da dengue.
A germinação dessa planta leva 45 dias e depois pode ser transportada e plantada em outros locais.

Como estamos observando, de novidade esperada da ANVISA e do Governo Federal  nada, pois sequer se dignaram a divulgar à população estes paleativos naturais, exceto os químicos industrializados pelos laboratórios internacionais que estão sendo testados e cuja PROTESTE contesta a ação efetiva da grande maioria dos repelentes, alegando falsidade ideológica nas informações.

Daqui a pouco vamos descobrir que nossos índios são os únicos que poderão dar cabo das doenças que os nossos civilizados, bravos e destemidos infectologistas não conseguem apresentar solução, dizendo serem patologias  emergentes e que ainda nos reservam quadros clínicos de arrepiar, quadros estes ainda desconhecidos.

Assim como apontamos lá ha exatos oito meses passados, sempre batendo na mesma tecla, estes problemas atuais já vinham sendo cantados em rítmo de samba e em som crescente e, podemos adiantar que tais quadros desconhecidos relacionados a Zika também estarão co-relacionados ao pâncreas  ao aparelho respiratório e aos músculos, como por exemplo a síndrome de Guillain-Barré, e agora a mais nova e preocupante alerta vermelho chamada MIOSITE que gera fraqueza muscular, podendo levar o paciente a paralisia, que está deixando a ANVISA e o Governo Federal em polvorosa em pecarem por inércia e incompetência!

Recentemente, outro fato bastante alarmante, que é a transmissão INTRA-UTERINA, ou seja, recentemente no Nordeste, num exame laboratorial de um aborto, foi detectado o vírus zika na placenta da paciente, o que significa que este já chegou a ultrapassar as barreiras do praticamente impossível

O mais novo fenômeno causado pela Chycungunia, a Miosite que acomete os músculos do paciente, e pode causar além de fortes dores, convulsões, paralisia de partes do corpo como rosto, braços e pernas, inclusive no aparelho respiratório, provocando infecçao grave.

A enfermidade pode ser provocada por outras infecções, como a vasculite, que é a imflamação dos vasos sanguíneos, e também por doenças musculares. Se não for tratada no início, a doença poderá levar o paciente à óbito.

Fontes de pesquisa http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2016/01/1731325-virus-da-zika-consegue-ultrapassar-a-placenta-na-gestacao-confirma-analise.shtml

Outras fontes de informações pode ser obtidas no site http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/12/1723511-sindrome-rara-ligada-ao-virus-zika-avanca-nopais.shtml!

Deixe seu comentario

 

 

 

Se desejar, pode usar tags em HTML

Crie aqui seu avatar para seus comentarios

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>